Hoje foi:

a) o terceiro dia da Nina aqui em casa. Já está super adaptada, corre por todos os cômodos, dorme comigo no sofá, fica no meu colo enquanto leio, morde nossos chinelos e dedos do pé e até acerta o jornal já;

b) o segundo dia que a Nina acordou às 07:00, em ponto. Acho que ela ouve os passarinhos e decide que está na hora de levantar. Também pelo segundo dia consecutivo, cheguei a duvidar se havia mesmo adotado uma cadelinha ou uma foca. É que ao invés de latir para me chamar, ela faz um barulho bizarríssimo. Vou tentar gravar e postar aqui amanhã. Segundo o  Pedro, a Nina é um eficiente despertador offline – que eu espero que desperte depois das 08:00 amanha:

c) o segundo banho. Fiasco imenso;

d) o primeiro dia que ela teve contato visual com a Maria Aparecida, nossa gatinha. Na verdade, eu não tenho certeza de que elas tenham de fato se enxergado. A Maria reagiu tão calmamente que eu duvido que ela tenha se dado conta de que a Nina não era um bichinho de pelúcia. Já a Nina apagou durante a operação. Deitou no meu ombro e dormiu. De qualquer maneira, vou esperar mais alguns dias para uma segunda tentativa. Aceito sugestões!

Essa é a maninha da Nina, a Maria Aparecida (vulgo “Gatinha”):

Ela só quer saber de colo quando vê o Pedro:

Anúncios